Parceria de duas empresas para distribuir Créditos de Floresta do Programa Brasil Mata Viva Viva para o mercado de varejo, nos segmentos de sustentabilidade e tecnologia

05/09/2017

A Dex Advisors está desenvolvendo uma área focada em sustentabilidade e projetos sociais e acaba de anunciar parceria com a Forest Friend, empresa que distribui os Créditos de Floresta do Programa Brasil Mata Viva para o mercado de varejo, nos segmentos de sustentabilidade e tecnologia.

O sócio que está à frente dessa nova divisão, dentro da Dex, é Bernardo Giacometti, executivo que foi membro do Y.P.O., associado da AMCHAM e teve extensa carreira na American Express Card, na Parker Pen e nas agências de propaganda Ogilvy e Young Rubican. Winston Pucci Pegler e Aruam Andriolo, novos sócios da consultoria, integram essa nova segmentação. Winston trabalhou em empresas como Magna International, Steinbock Consulting, Wolf Maschinenbau AG e Odgers Berndtson, com atuação nos mercados sul americano, europeu, asiático e africano. Aruam ocupou posições de destaque na Caterpillar e na GM.

O objetivo da joint-venture é combinar a expertise de ambas as companhias nas questões de iniciativas empresariais sustentáveis e gerar conscientização nas pessoas, compensando emissões de poluentes do ar e gases de efeito estufa (GEE), por meio da aquisição de Créditos de Floresta, produzindo benefícios ambientais com a preservação da floresta Amazônica e a proteção da natureza. “Em agosto, anunciaremos uma parceria na área social, para orientar as empresas a usarem 9% do lucro para projetos sociais. É uma normativa do governo. No mundo de hoje uma empresa não pode ficar sem responsabilidade social e não se preocupar com o assunto. O mercado espera e os funcionários sentem orgulho de onde trabalham quando existe esse envolvimento. Se um CEO quer deixar um legado, ele precisa se envolver nesse tipo de projeto”, afirma Bernardo Giacometti. 

O Crédito de Floresta é um ativo gerado a partir da proteção de florestas, que são inventariadas e certificadas com protocolos internacionais homologados pela ONU. Com ele, é possível compensar emissões atmosféricas e proporcionar o equilíbrio entre as emissões de poluentes no ar e o sequestro de CO2 pelas florestas. 

“Temos a proposta de aproveitar a expertise de nossa equipe formada por profissionais que atuam ou atuaram como CEOs, VPs, diretores, empresários, consultores e professores para nos envolver diretamente no trabalho necessário, focando no impacto ambiental da emissão de CO2 e gases de efeito estufa. Juntos, utilizaremos os contatos de nossos associados, para buscar consumo sustentável”, diz Bernardo. 

O projeto visa o compromisso social das empresas e da comunidade com a saúde da floresta Amazônica e o bem-estar que as marcas podem proporcionar aos seus consumidores por serem ecologicamente corretas.  O Crédito de Floresta é um bem tangível, de acordo com o código florestal Brasileiro que permite a transferência e a transação dos direitos creditórios dos benefícios oriundos da proteção da vegetação nativa. O preço dos Créditos de Floresta no mercado voluntário não sofre regulação e varia em função de condições de mercado e preço referência de ativos ambientais. 

“O escopo do projeto propõe oferecer ao consumidor final a possibilidade de adquirir um bem ou serviço limpos de emissões. Ele adquire uma fração de toneladas de Crédito de Floresta, correspondente à neutralização do consumo do produto ou serviço comprado”, complementa Mauro Romani, diretor da Forest Friend.

Segundo a Nielsen, empresa pesquisadora de hábitos de consumo, que atua em mais de 100 países no mundo, cerca de 45% dos consumidores consideram muito ou muitíssimo importante que os produtos que eles consomem sejam de empresa reconhecida por ser ecologicamente correta; 41% deles também se preocupam com a embalagem ecologicamente correta. 

“Isso demonstra que estamos trilhando o caminho correto: busca por multiplicar a consciência ecológica nos hábitos de consumo. A pesquisa demonstra que também existe o caminho inverso: os consumidores começam a valorizar e buscar fornecedores que compartilham desses mesmos valores de preservação ambiental”, comenta Mauro, da Forest Friend. 

O Crédito de Floresta tem segurança, transparência e rastreabilidade. É um produto originário da atividade rural classificada como exploração vegetal, nos termos previstos na lei federal número 8.023/90, art 2º, que define os benefícios dos serviços ambientais: de estocagem e sumidouro a carbono equivalente, da conservação da biodiversidade, da proteção da fauna e da flora, da manutenção de fluxo hidrológico e dos benefícios sociais do uso sustentável da terra e da implantação de matrizes produtivas sustentáveis, desenvolvidas no núcleo Arinos Mata Viva, integrante do Programa Brasil Mata Viva. 

“Recebemos o selo sustentabilidade jogos limpos 2016. Os produtores rurais do Programa Brasil Mata Viva forneceram mais de 1,6 milhões de toneladas de Créditos de Floresta para neutralizar as emissões das Olimpíadas e Paralimpíadas Rio 2016. Essa é a nossa medalha de ouro! Temos um estoque de Créditos de porte global e estamos prontos para atender a qualquer demanda que a Dex estimular”, revela Mauro, da Forest Friend. 

Fluxo de modelo de negócio: Forest Friend, Brasil Mata Viva – créditos de preservação florestal – parceria com geração de receita – empresas e instituições oferecem produtos ou serviços sustentáveis aos seus clientes – consumidor final adquire o CF junto com o produto ou serviço – estoque de CF garantido para atender o mercado global – envio de certificado que permite a rastreabilidade do crédito (transparência). 

Vantagens: 

Operação de poucos reais por vez
Receita nova para o parceiro na venda com CF (% do valor vendido)
Não há necessidade de investimento do parceiro
Venda no varejo
Fácil e rápida decisão do cliente
Pulverização da consciência ambiental
Consumidor participa do processo de preservação da floresta amazônica
Total transparência e rastreabilidade dos créditos de floresta
Mercado voluntário. 

A Best Intercâmbios é um dos clientes da Forest Friend. A empresa oferece intercâmbios internacionais limpos de emissões aos seus alunos. Desde as emissões do transporte aéreo até estadia e deslocamentos locais. Todas compensadas com a inclusão dos Créditos de Floresta correspondentes, no valor do intercâmbio pago pelo aluno, não representando mais que 0,2% do preço do serviço adquirido.

“A limpeza das emissões com a compensação nunca representa um valor elevado e não pode influenciar na decisão de compra do cliente. Os consumidores não sabem o quanto é simples e inexpressivo limparem suas pegadas e passarem a consumir de forma sustentável”, conclui Gavur Kirst, diretor da Best Intercâmbios.