Poucas ações em 25 anos de debates sobre o clima

14/06/2017

Trinta grupos de trabalho, conselhos, comissões e comitês foram criados pelo governo federal nos últimos 25 anos para discutir compromissos ambientais da Rio 92. Nenhum deles foi consultado durante a Conferência do Clima de Paris, em 2015, quando o país anunciou quais estratégias seriam tomadas para cortar a emissão de poluentes - o que demonstra a falta de articulação sobre o tema no país, segundo especialistas.

De acordo com o levantamento do Fórum Brasileiro das Mudanças Climáticas (FBMC) - que organiza, entre ontem e hoje, o encontro Rio Clima - , cinco dos órgãos colegiados instituídos não organizaram reuniões nos últimos três anos. Oito falharam no quesito transparência, porque não disponibilizam atas ou canais de comunicação.

- Considerando o tamanho do Estado brasileiro, é até natural que tantos órgãos aparecessem, mas o grande problema é a falta de uma força que organize um trabalho racional - critica Natalie Unterstell, secretária-executiva adjunta do fórum. - Há uma série de trabalhos que não estão conectados com a realidade.

Além disso, a burocracia impede o aumento do orçamento e da representatividade de projetos eficientes, como os fundos Amazônia, Clima e ABC. Segundo os ambientalistas, novos órgãos foram sendo criados sem a desativação dos ultrapassados - seria um exemplo do engessamento do sistema político, que seria resolvido apenas com mudanças radicais na legislação.

O Globo | BR | Sociedade | Página 24

Leia a notícia completa aqui.

Veja o clipping completo