No G7, EUA se afastam ainda mais de compromissos do Acordo de Paris

13/06/2017

Os Estados Unidos confirmaram nesta segunda-feira (12) suas divergências climáticas com os demais países do G7, ao se negarem a apoiar um texto que reafirma a "irreversibilidade" do Acordo de Paris.

Os ministros de ambiente do G7, o grupo de potências econômicas formado por Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Alemanha, França, Itália e Japão, se reuniram no domingo e na segunda-feira na cidade italiana de Bolonha.

Ao final do encontro, todos os países, com exceção dos Estados Unidos, assinaram uma declaração comum na qual reafirmaram seu compromisso em aplicar o Acordo de Paris, cujo objetivo é proteger o clima reduzindo as emissões de gases do efeito estufa.

Scott Pruitt, diretor da Agência de Proteção Ambiental americana (EPA), não assinou essa parte do texto, em função da decisão do presidente Donald Trump de retirar o país do Acordo de Paris assinado na capital francesa em 2015.

"Retomamos o diálogo [com os países do G7] para dizer que Paris não é o único meio para avançar", disse Pruitt em um comunicado difundido nesta segunda-feira.

Os outros seis países do G7 e a União Europeia discordam dessa posição e, por isso, confirmaram sua intenção de aplicar o acordo sobre o clima.

Folha.com | BR | Ambiente

Leia a notícia completa aqui.
 

Veja o clipping completo