G7 não chega a acordo em declaração sobre mudanças climáticas

10/04/2017

Reunidos na capital italiana, os ministros de energia das sete maiores economias do mundo não chegaram a um acordo para a elaboração de uma declaração conjunta sobre as mudanças climáticas. De acordo com Carlo Calenda, Ministro para o Desenvolvimento Econômico da Itália, a culpa é dos EUA, que expressaram reservas em relação ao texto sobre os compromissos adotados pelo grupo em relação ao Acordo Climático de Paris.

Sem unanimidade, a Itália, que atualmente preside o G7, decidiu contra a proposta de uma declaração conjunta. Segundo Calenda, que presidiu o encontro em Roma, os EUA reservaram sua posição.

O Acordo de Paris é considerado um marco global no combate às mudanças climáticas provocadas pelo homem. O objetivo é limitar o aquecimento do planeta em até 2 graus Celsius em relação à temperatura média do período pré-industrial. Para isso, dizem os cientistas, é necessário o corte nas emissões de gases do efeito estufa, principalmente o dióxido de carbono liberado pela queima de combustíveis fósseis.

Mas com a eleição de Donald Trump para a presidência dos EUA, esses planos ficaram em risco. Em março, ele assinou uma ordem executiva revogando políticas adotadas pelo seu sucessor, Barack Obama, com o fim de cortas as emissões de carbono. Segundo especialistas, sem essas leis que limitam a emissão de gases-estufa pelo setor de energia, é praticamente certo que os EUA não atingirão suas metas do Acordo de Paris.

O Globo Online | BR | Sustentabilidade

Leia a notícia completa aqui.
 

Veja o clipping completo