Açudes abertos pelo governo do Acre secam na reserva Chico Mendes

20/04/2017

Má execução e falhas nas obras para fomentar a criação de peixes dentro da Reserva Extrativista Chico Mendes, no município de Xapuri (AC), inviabilizaram 90% dos 54 açudes cavados entre 2014 e 2015 pelo governo do Acre, com verba de um banco alemão.

O resultado são tanques vazios que formam crateras no meio da unidade, igarapés que tiveram seus cursos alterados, floresta desmatada e risco de erosão por desobediência a padrões técnicos durante as escavação dos tanques. A reserva foi idealizada pelo ex-líder seringueiro Chico Mendes.

Os açudes têm 400 m2 em média --o equivalente a 3 campos de futebol. Foram construídos por uma empresa contratada pelo governo. O valor, de R$ 600 mil, foi custeado pelo banco alemão KFW e repassado para o governo do Acre.

A abertura dos açudes acabou por agravar impactos dentro da reserva. A pecuária e a extração ilegal de madeira são atividades que exercem pressão sobre a área.

A Folha teve acesso ao estudo que aponta as falhas nas escavações e os danos causados dentro da unidade. O relatório foi elaborado em junho de 2015 pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente, responsável por gerenciar as unidades de conservação no país.

Folha.com | BR | Cotidiano

Leia a notícia completa aqui.

Veja o clipping completo